Há 10 anos - NASA confirma presença de lagos de metano em Titã.


A exatamente dez anos atrás, cientistas europeus e americanos confirmaram a existência de lagos de metano em Titã, a maior lua de Saturno, a partir das imagens captadas pela sonda Cassini, 

No artigo, os cientistas, de prestigiadas universidades europeias e americanas, explicam que Titã é a única lua do sistema solar que conta com uma atmosfera densa, similar a qual existia na Terra em sua etapa de formação, com finas camadas de metano e nuvens de nitrogênio.
Durante muito tempo se achou que poderiam existir lagos ou, inclusive, mares de metano na superfície desse satélite.
Em 22 de julho de 2006, a sonda Cassini visualizou as regiões setentrionais de Titã e revelou um numero de amplas e escuras manchas ao redor da superfície do polo, com diâmetros que variavam de 3 a 70 quilômetros.
A baixa reflexividade ao radar das manchas indica uma superfície lisa que contrasta com o terreno que as rodeia, o que sugere que estão compostas de líquido, rocha ou gelo. O radar detectou igualmente, segundo os cientistas, linhas sinuosas que se dirigem em direção as manchas e que apresentam a aparência de canais fluviais, enquanto outras parecem estar contidas em depressões circulares, similares aos lagos das crateras ou as caldeiras vulcânicas da Terra.
A combinação das provas radiométricas e as características morfológicas das manchas e sua localização nessas depressões topográficas levaram os pesquisadores à conclusão que são lagos de metano. Segundo os especialistas, Titã é o único corpo do sistema solar fora a Terra no qual se encontraram provas de um ciclo hidrológico ativo de condensação.
De lá para cá, descobriu-se que ela possui mais uma coisa em comum com a Terra: ventos polares. Mas  o vento polar generalizado está lançando o gás da atmosfera de Titã para o espaço. Cientistas descobriram o escoamento de gás depois de analisar dados do Espectrômetro de Plasma, instrumento da sonda espacial Cassini (CAPS) da NASA, que está na órbita de Saturno.

VIDA EM TITÃ

Outro item que os cientistas especulam é que pode existir micro-organismos enormes e antiquíssimos em Titã. Os pesquisadores estão analisando as diversas possibilidades de composição de seres vivos e eles chegaram a conclusão que os organismos que poderiam existir em Marte teriam peróxido de hidrogênio como líquido intracelular e a lua Titã baseadas em hidrocarbonetos.
Os seres vivos dessa lua, segundo pesquisas realizadas por cientistas, seriam baseados na química dos hidrocarbonetos. A gélida atmosfera faria com que esses organismos habitáveis dessa lua tivessem metabolismos muito lentos, células tremendamente grandes e vidas mais longas do que as da Terra.
Um dos autores do estudo, Dirk Schulze-Makuch, afirma que uma descoberta desse porte seria uma das maiores descobertas da historia da humanidade, pois também provaria que, finalmente, não estamos sozinhos no universo, sabendo que existe vida extraterrestre em um ambiente hostil como este de Titã, mas que pode abrigar outros tipos de vidas, que não se baseiam apenas em água e oxigênio.

Revoltado por Natureza

Nenhum comentário:

Postar um comentário